Arnaldo Antunes – O Buraco Do Espelho

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar aqui
com um olho aberto, outro acordado
no lado de lá onde eu caí

pro lado de cá não tem acesso
mesmo que me chamem pelo nome
mesmo que admitam meu regresso
toda vez que eu vou a porta some

a janela some na parede
a palavra de água se dissolve
na palavra sede, a boca cede
antes de falar, e não se ouve

já tentei dormir a noite inteira
quatro, cinco, seis da madrugada
vou ficar ali nessa cadeira
uma orelha alerta, outra ligada

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar agora
fui pelo abandono abandonado
aqui dentro do lado de fora

(Arnaldo Antunes)

__________________________________________________________________
“Nós enxergamos tudo num espelho, obscuramente. Às vezes conseguimos espiar através do espelho e ter uma visão de como são as coisas do outro lado. Se conseguíssemos polir mais esse espelho, veríamos muito mais coisas. Porém não enxergaríamos mais a nós mesmos, e é isso qie nos assusta e nos faz ficar com um espelho mal polido eternamente, é tudo por medo de nós mesmos” (Jostein Gaarder)

Anúncios

Embriaguez

6 julho, 2007

    É preciso estar sempre embriagado. Isso é tudo: é a única questão. Para não sentir o horrível fardo do Tempo que lhe quebra os ombros e o curva para o chão, é preciso embriagar-se sem perdão.
Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, como quiser. Mas embriague-se.

E se às vezes, nos degraus de um palácio, na grama verde de um fosso, na solidão triste do seu quarto, você acorda, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, pergunte ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunte que horas são e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio lhe responderão: “É hora de embriagar-se! Para não ser o escravo mártir do Tempo, embriague-se; embriague-se sem parar! De vinho, de poesia ou de virtude, como quiser”.

 

 

(Charles Baudelaire)

Nelson Rodrigues

6 julho, 2007

Algumas citaçoes desse gêmio que falava o que pensava e não tinha papas na língua. Não gostavam muito dele, mas é compreensível, ele falava algumas verdades que não gostamos de ouvir.

A companhia de um paulista é a pior forma de solidão.

O homem começa a morrer na sua primeira experiência sexual.

Só os profetas enxergam o óbvio.

Deus prefere os suicidas.

A morte é anterior a si mesma.

Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar.

Todo desejo é vil.

A cama é um móvel metafísico.

Até 1919, a mulher que ia ao ginecologista sentia-se, ela própria, uma adúltera.

O brasileiro chamado de doutor treme em cima dos sapatos. Seja ele rei ou arquiteto, pau-de-arara, comerciário ou ministro, fica de lábio trêmulo e olho rútilo.

Tarado é toda pessoa normal pega em flagrante.

Toda mulher gosta de apanhar. Só as neuróticas reagem.

Hoje é muito difícil não ser canalha. Todas as pressões trabalham para o nosso aviltamento pessoal e coletivo.

O marido não deve ser o último a saber. O marido não deve saber nunca.

O biquíni é uma nudez pior do que a nudez.

Só há uma tosse admissível: a nossa.

Toda mulher bonita é um pouco a namorada lésbica de si mesma.

Não admito censura nem de Jesus Cristo.

Nada nos humilha mais do que a coragem alheia.

Eu me nego a acreditar que um político, mesmo o mais doce político, tenha senso moral.

Morder é tara? Tara é não morder.

Todo tímido é candidato a um crime sexual.

Quem nunca desejou morrer com o ser amado nunca amou, nem sabe o que é amar.

O que atrapalha o brasileiro é o próprio brasileiro. Que Brasil formidável seria o Brasil se o brasileiro gostasse do brasileiro.

O amigo é um momento de eternidade.

O asmático é o único que não trai.

O casamento não é culpado de nada. Nós é que somos culpados de tudo.

A dúvida é autora das insônias mais cruéis. Ao passo que, inversamente, uma boa e sólida certeza vale como um barbitúrico irresistível.

Toda coerência é, no mínimo, suspeita.

A maioria das pessoas imagina que o importante, no diálogo, é a palavra. Engano, e repito: – o importante é a pausa. É na pausa que duas pessoas se entendem e entram em comunhão.

Toda a história humana ensina que só os profetas enxergam o óbvio.

Amar é ser fiel a quem nos trai.

Acho a liberdade mais importante que o pão.

Ou a mulher é fria ou morde. Sem dentada não há amor possível.

Dinheiro compra tudo. Até amor verdadeiro.

Só não estamos de quatro, urrando no bosque, porque o sentimento de culpa nos salva.

No Brasil, quem não é canalha na véspera é canalha no dia seguinte.

A morte de um velho amigo é uma catástrofe na memória. Todas nossas relações com o passado ficam alteradas.

Deus só freqüenta as igrejas vazias.

Copacabana vive, por semana, sete domingos.

Não ama seu marido? Pois ame alguém, e já. Não perca tempo, minha senhora!

A fome é mansa e casta. Quem não come não ama, nem odeia.

Todo ginecologista devia ser casto. O ginecologista devia andar de batina, sandálias e coroinha na cabeça. Como um são Francisco de Assis, com a luva de borracha e um passarinho em cada ombro.

A verdadeira grã-fina tem a aridez de três desertos.

No passado, a notícia e o fato eram simultâneos. O atropelado acabava de estrebuchar na página do jornal.

Não reparem que eu misture os tratamentos de tu e você. Não acredito em brasileiro sem erro de concordância.

Nossa ficção é cega para o cio nacional. Por exemplo: não há, na obra do Guimarães Rosa, uma só curra.

Os magros só deviam amar vestidos, e nunca no claro.

Um filho, numa mulher, é uma transformação. Até uma cretina, quando tem um filho, melhora.

O cardiologista não tem, como o analista, dez anos para curar o doente. Ou melhor: – dez anos para não curar. Não há no enfarte a paciência das neuroses

Não há ninguém mais vago, mais irrelevante, mais contínuo do que o ex-ministro.

Nunca a mulher foi menos amada do que em nossos dias.

O Natal já foi festa, já foi um profundo gesto de amor. Hoje, o Natal é um orçamento.

Enquanto um sábio negro não puder ser nosso embaixador em Paris, nós seremos o pré-Brasil.

Se eu tivesse que dar um conselho, diria aos mais jovens: – não façam literatice. O brasileiro é fascinado pelo chocalho da palavra.

Qualquer menino parece, hoje, um experimentado e perverso anão de 47 anos.

Quero crer que certas épocas são doentes mentais. Por exemplo: – a nossa.

Sexo é para operário.

Desconfio muito dos veementes. Via de regra, o sujeito que esbraveja está a um milímetro do erro e da obtusidade.

Falta ao virtuoso a feérica, a irisada, a multicolorida variedade do vigarista.

Esse post é uma colaboração de um grande amigo que fez essa história em 5 minutos via msn num momento de insPIRAÇÃO(por isso as frases são soltas).

Praguet’s era 1 princesa de tao mais distante ainda, parente da Feiona do Shrek

Enquanto que S/N vivia perambulando por aí caçando, bebendo e brigando pelas ruas..

Mas nenhum dos 2 estava satisfeito com a vida q levava…sentiam que faltava algo em suas vidas. Ele sabia que não era mais nenhuma garrafa de vinho e ela sabia q não era mais nenhuma roupa da Gucci.

Entao, num belo dia, numa noite escura a princesa praguet’s resolveu fazer uma festa para tentar se animar. Ligou para as amigas, contratou 1 buféte de sorvetes, e bebidas alcólicas de monte.

Naquela noite,após pensar na vida, S/N andava pelas ruas da cidade olhando pras estrelas quando bateu numa coisa estranha.

Era uma carruagem de strippers que se dirigia a festinha de praguet’s e as amigas.

Namos ficar nus para a princesa – disse um dos strippers.

Entao, folgado como era, S/N viu naquele momento uma oportunidade de tirar o pé da lama e animar a sua vida.

Ele esperou os strippers embarcarem na ômega carruagem e se grudou no para-choque de trás pra ir junto

Quando os strippers começaram a ir lá ficarem pelados na frente da princesa e das amigas taradas de Dakota do Norte, iam um a um … até que S/N pensou: vou me disfarçar de stripper pra ela.

Entao depois qur eles saíram, ele entrou. ÓBVIO que ele nao sabia tirar a roupa com classe, mas mesmo com as amigas dizendo – quem é esse bagual q entrou de metido? – a princesa o mirou nos olhos e sentiu um calor que nunca tinha sentido antes..

Ela se apaixonou por mim – pensou S/N – mas era apenas a menopausa

Mas ele ainda mantinha esperanças de ter uma boa vida – deu certo -dizia ele. E vai DAR mais ainda. Até que ela é bem pegável.

Entao, como nenhum tirava os olhos dos outros, pq isso era violência e só fazia na idade mérdia, ambos se aproximaram e se beijaram calorosamente.
Vou te fazer um rei quando nos casarmos, e vai ser logo – disse Praguet’s

Neste instante, S/N percebeu que era feliz e não sabia. Então saiu correndo pelo deserto e nunca mais ninguém teve noticias dele. Quanto à princesa, ela estudou artes nos Estados Unidos e faz parte do elenco de ‘desperate housewives’. FIM.

ATENÇÃO: Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência.

Efeito Coca Cola

1 julho, 2007

Primeiros dez minutos

Aproximadamente dez colheres de acúcar adentram seu organismo. MAis que 100% das suas necessidades diárias totais. Você só não vomita com o excesso de doce porque o ácido fosfórico inibe esta reação, iludindo seu organismo a achar que há menos quantidade de doce, o que te ajuda a mandar a coca-cola pra dentro.


20 Minutos

Agora o pico de açúcar atinge sua corrente sanguínea, gerando um choque insulínico. MAis que depressa, seu fígado responde como pode a isso, convertendo açúcar em gordura. Neste momento a coca-cola começa a provocar seus efeitos de prazer.

40 Minutos

Neste momento, a cafeína foi absorvida completamente. Sua pupila começará a dilatar. A sua pressão sanguínea dispara e como resposta, seu fígado injeta mais açúcar em seu sistema sanguíneo. Os receptores de adenosina em seus miolos irão bloquear, de modo a prevenir a sonolência.

 

45 Minutos

 

Seu corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do seu cérebro. Isso é basicamente o que a Heroína faz.


60 minutos e além
O ácido fosfórico se liga ao o cálcio, o magnézio e o zinco em seus intestinos, dando um impulso adicional ao seu organismo. Isso é ainda potencializado com os flavorizantes e acidulantes artificiais que aumentam a excreção urinária do calcio. Se você tem tendência a formar pedras nos rins, este é o seu tiro de misericórdia. Se você é mulher, a ligação do ácido fosfórico com o calcio dos ossos pode aumentar uma predisposição genética a osteoporose.

As propriedades diuréticas da cafeína entram na brincadeira, gerando uma enorme vontade de fazer xixi. Você evacuará o cálcio, o magnésio e o zinco ligados que foram dirigidos a seus ossos bem como o sódio, o eletrólito e a água.

Após os 60 minutos, seu corpo começa entrar em um estado de caos gerado pela ingestão do açúcar. Isso fará você começar a ficar irritadiço ou sonolento. A esta altura, você já urinou toda a água que estava contida na Coca-Cola misturada com os minerais e nutrientes – que deveriam nutrir seu organismo.

Observe que esta análise é feita tomando como base a ingestão de uma lata de coca-cola. Se você tomar uma garrafa de 2,5l a coisa piora.
Mas isso também não significa que a Coca-Cola seja um veneno. Se partirmos para este lado, veremos que a água e o sal também são potencialmente venenosos em grande quantidade, mas nos beneficiamos desses produtos em graus específicos.

Bom, não vou ser eu que vou aqui pregar que não tomem Coca Cola(ou outros refrigerantes). Cada um sabe o que faz da sua vida(ou ao menos deveria saber).

PS: Não garanto a veracidade dessas informações.

A Lei dos Homens

28 junho, 2007

Essa parábola simboliza os meandros da Lei, muito parecido com o que acontece na realidade brasileira, uma eterna espera por justriça. A história, contada pela voz de Orson Welles, principia “O Processo”(Um dos livros/filmes mais non-sense que já li/assisti):

“Diante da Lei, fica um guarda. Um homem, vindo do interior, pede para entrar. Mas o guarda não admite. ‘- Pode ele entrar mais tarde?’ ‘-É possível’, diz o guarda. O homem tenta olhar para dentro. Aprendeu que a Lei deveria ser acessível a todos. ‘-Não tente entrar sem a minha permissão! Eu sou poderoso! E sou apenas o mais subalterno de todos os guardas! A cada sala, a cada porta, há um guarda mais poderoso que o anterior’. Com a permissão do guarda ele senta ao lado da porta e espera. Por anos ele espera. Ele vende tudo o que tem pensando subornar o guarda. Este sempre aceita o que o homem lhe dá para que ele não sinta que não tentou. Fazendo vigília por anos, o homem conhece até as pulgas da gola do guarda. Ficando gagá com a idade, pede às pulgas que convençam o guarda a permitir a entrada. Sua visão é curta, mas ele percebe um brilho infinito ao redor da porta da lei. E agora, antes de morrer, toda sua experiência se reduz a uma pergunta que ele nunca fez. Ele chama o guarda. E o guarda responde: ‘-Você não se cansa, o que quer agora?’ ‘- Todo homem luta pela Lei’. Então, por que nesses anos todos ninguém pediu a proteção da Lei?’ Sua audição não é boa, e o guarda grita em seu ouvido: ‘-Só você poderia entrar. Ninguém mais. Essa porta foi feita só para você. E, agora, eu vou fechá-la’.”

Nietzsche

27 junho, 2007

“Não deves amar nem odiar o povo. Não deves te ocupar de política. Não deves ser rico nem pobre. Deves evitar o caminho dos ricos e poderosos. Deves tomar mulher fora de tua cidade. Deves deixar a teus amigos o cuidado de educar teus filhos. , Não deves aceitar nenhuma das cerimônias da Igreja.” (Friedrich Wilhelm Nietzsche)