Pesquisas Google

22 julho, 2009

My Idle Life
Um dos motivos de eu fazer esse blog no WordPress foi o fato de ele mostrar estátisticas sobre número de acessos, pageviews e etc.

Um dos recursos que ele tem é mostrar quais palavras foram procuradas no Google e resultaram em visitas no Blog. Qual não foi minha surpresa quando começaram a aparecer coisas, no mínimo, bizonhas. Aí vão alguns exemplos:

Continue lendo »

Anúncios

Código Da Vinci

9 outubro, 2007

A continuação do Código Da Vinci

Assunto em debate para a continuação do Código Da Vinci:

NACIONALIDADE DE JESUS

Continue lendo »

A língua alemã é relativamente fácil. Todos aqueles que conhecem as línguas derivadas do latim e estão habituados a conjugar alguns verbos podem aprendê-la rapidamente. Isso dizem os professores de alemão logo na primeira lição.

Vamos lá…. para ilustrar tal simplicidade, imaginemos que vamos estudar um exemplo. Primeiro, pegamos um livro em alemão, neste caso um magnífico volume, com capa dura, publicado em Dortmund, e que trata dos usos e costumes dos índios australianos Hotentotes (em alemão, “Hottentotten”).

Conta o livro que os cangurus (Beutelratten) são capturados e colocados em jaulas (Kotter) cobertas com uma tela (Lattengitter) para protegê-las das intempéries. Essas jaulas, em alemão, chamam-se jaulas cobertas com tela (Lattengitterkotter) e, quando possuem em seu interior um canguru, chamamos ao conjunto de jaula coberta de tela com canguru (Lattengitterkotterbeutelratten).

Um dia, os hotentotes prenderam um assassino (Attentäter), acusado de haver matado a mãe (Mutter) hotentote (Hottentottermutter) de um garoto surdo e mudo (Stottertrottel). Essa mulher, em alemão, chama-se Hottentottenstottertrottelmutter e, a seu assassino, facilmente chamamos de Hottentottenstottertrottelmutterattentäter.

No livro, os índios o capturaram e, sem ter onde colocá-lo, puseram-no numa jaula de canguru (Beutelrattenlattengitterkotter). Mas, incidentalmente, o preso escapou. Após iniciarem a busca, rapidamente veio um guerreiro hotentote gritando:

– Capturamos o assassino (Attentäter)!

– Qual?? – perguntou o chefe.

– O Lattengitterkotterbeutelratterattentäter – respondeu o guerreiro.

– Como? O assassino que estava na jaula de cangurus coberta de tela? – disse o chefe dos hotentotes.

– Sim – responde a duras penas o indígena – o Hottentottenstottertrottelmutteratentäter (assassino da mãe do garoto surdo e mudo).

– Ah – diz o chefe – você poderia ter dito desde o início que havia capturado o Hottentotterstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentäter!

O.O

Esse post é uma colaboração de um grande amigo que fez essa história em 5 minutos via msn num momento de insPIRAÇÃO(por isso as frases são soltas).

Praguet’s era 1 princesa de tao mais distante ainda, parente da Feiona do Shrek

Enquanto que S/N vivia perambulando por aí caçando, bebendo e brigando pelas ruas..

Mas nenhum dos 2 estava satisfeito com a vida q levava…sentiam que faltava algo em suas vidas. Ele sabia que não era mais nenhuma garrafa de vinho e ela sabia q não era mais nenhuma roupa da Gucci.

Entao, num belo dia, numa noite escura a princesa praguet’s resolveu fazer uma festa para tentar se animar. Ligou para as amigas, contratou 1 buféte de sorvetes, e bebidas alcólicas de monte.

Naquela noite,após pensar na vida, S/N andava pelas ruas da cidade olhando pras estrelas quando bateu numa coisa estranha.

Era uma carruagem de strippers que se dirigia a festinha de praguet’s e as amigas.

Namos ficar nus para a princesa – disse um dos strippers.

Entao, folgado como era, S/N viu naquele momento uma oportunidade de tirar o pé da lama e animar a sua vida.

Ele esperou os strippers embarcarem na ômega carruagem e se grudou no para-choque de trás pra ir junto

Quando os strippers começaram a ir lá ficarem pelados na frente da princesa e das amigas taradas de Dakota do Norte, iam um a um … até que S/N pensou: vou me disfarçar de stripper pra ela.

Entao depois qur eles saíram, ele entrou. ÓBVIO que ele nao sabia tirar a roupa com classe, mas mesmo com as amigas dizendo – quem é esse bagual q entrou de metido? – a princesa o mirou nos olhos e sentiu um calor que nunca tinha sentido antes..

Ela se apaixonou por mim – pensou S/N – mas era apenas a menopausa

Mas ele ainda mantinha esperanças de ter uma boa vida – deu certo -dizia ele. E vai DAR mais ainda. Até que ela é bem pegável.

Entao, como nenhum tirava os olhos dos outros, pq isso era violência e só fazia na idade mérdia, ambos se aproximaram e se beijaram calorosamente.
Vou te fazer um rei quando nos casarmos, e vai ser logo – disse Praguet’s

Neste instante, S/N percebeu que era feliz e não sabia. Então saiu correndo pelo deserto e nunca mais ninguém teve noticias dele. Quanto à princesa, ela estudou artes nos Estados Unidos e faz parte do elenco de ‘desperate housewives’. FIM.

ATENÇÃO: Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência.

Morte por Confusão

28 junho, 2007

Confesso, esse Blog está ficando sério demais. Portanto resolvi criar uma nova categoria, ‘humor’. Não, não vai ter uma piada por dia. Vai ser de vez em quando, conforme eu for achando que alguma merece ser publicada aqui. Prefiro poucas e boas, nada de coiasas à la Zorra Total.

 

Aí vai:

 

Certo dia na delegacia de polícia, o sr. Delegado, recebe uma carta:

 

Senhor Delegado:

 

Não culpe ninguém por minha morte. Deixei esta vida porque, dias mais que eu vivesse, acabaria morrendo louco. Eu explico porque, Sr. Delegado:
Tive a desdita de casar-me com uma viúva, a qual tinha uma filha. Se eu soubesse o meu destino, Sr. delegado, jamais teria casado. Meu pai, para maior desgraça, era viúvo e quis a fatalidade que ele casasse com a filha de minha mulher.
Resultou que minha mulher tornou-se sogra do meu pai, minha enteada ficou sendo minha mãe, e meu pai ao mesmo tempo, meu genro. Após alguns anos minha enteada deu a luz a um menino, que se tornou meu irmão, porém, neto da minha mulher, de maneira que eu fiquei sendo avô do meu irmão.
Com o decorrer do tempo, minha mulher também deu a luz a um menino que, como irmão da minha mãe, era cunhado de meu pai e tio do seu filho, passando minha mulher a ser nora da sua própria filha, e eu, Sr. delegado, fiquei sendo pai de minha mãe, irmão do meu pai e do meu filho. Minha mulher ficou sendo minha avó, já que era mãe da minha mãe. Sendo assim, Sr. delegado, acabei sendo avô de mim mesmo.

 

Portanto, Sr. delegado, a coisa se complicou tanto que resolvi desertar desse mundo.

 

PS: Espero que tenham gostado. 🙂